Zezé Motta na Sapucaí em 2017: “Vou me despedir em grande estilo.”

zezenosossego

Ela vai abrir os trabalhos da folia no carnaval 2017, quando o G.R.E.S. Acadêmicos do Sossego for a primeira escola a cruzar a Sapucaí na sexta-feira de Carnaval. A atriz já esteve na quadra da agremiação, em Niterói, no início do mês de maio, quando fez questão de prestigiar o lançamento do enredo em que ela é a homenageada, cujo tema “Zezé Motta, a Deusa de Ébano” será desenvolvido pelo carnavalesco Márcio Puluker.

Zezé revela que vai usar esta homenagem para marcar a sua despedida do carnaval, sendo assim a última vez a atravessar a Passarela do Samba. Apesar da boa forma aos 72 anos, a atriz alega que precisa de férias pra sua saúde física, mental, espiritual e familiar. Além disso, não quer mais dizer “não” e não quer mais ser convidada a desfilar.

Zezé Motta no último carro da Arrastão de Cascadura (1989)

Zezé Motta no último carro da Arrastão de Cascadura (1989)

Zezé sempre foi muito carnavalesca. Desde que começou a desfilar, em 1972, a artista viveu momentos inesquecíveis na Avenida. Caiu no samba ao lado de Marília Pêra com o enredo “Alô, Alô, Taí, Carmem Miranda”, no Império Serrano. Encarnou Dandara no enredo “Kizomba” da Vila Isabel em 1988, convidada por Martinho da Vila. Por duas vezes participou de homenagens a Cacá Diegues, uma em 2004 pela extinta Acadêmicos da Barra da Tijuca e em 2016, encarnando Xica da Silva no enredo da Inocentes de Belford Roxo.

Esta não será a primeira vez que Zezé Motta é homenageada como personagem principal de um desfile. Em 1989 o Arrastão de Cascadura apresentou o enredo “Zezé, um canto de amor e raça”. Em 2002 foi a vez da Unidos da Vila Kennedy, com “Sou negra, sou raça, sou Brasil, sou Zezé Motta”. Não será a primeira vez, mas será a última. E que seja marcante.


Redação Ziriguidum: contato@ziriguidum.net.br

Foto/capa: Jaylton Pimentel

Foto/matéria: Revista Manchete

Deixe seu comentário