VOZ DO SAMBISTA: “Níver do Rio? Já é, mermão!” – Por: Cristina Frazão

fundovozdosambista

Níver do Rio?? Jaé, mermão!
Minha cidade hoje completa 453 anos.
Estácio de Sá a fundou,e depois virou nome da primeira escola de samba do Brasil. Na verdade, o nome da escola não é por causa do ‘cara’ Estácio de Sá. E, sim, por causa do bairro. Eles não trocariam São Carlos, que era santo por um tal de Estácio, que nem santo era, mas que morreu igual a um santo, o São Sebastião, que é padroeiro da cidade. Flecha, santo, São Carlos, Estácio… Ah… “Deixa Falar”!
Por falar em Estácio, lá tem a estação do metrô que liga a Pavuna à Zona Sul.
A Pavuna é um Rio de Janeiro paralelo, cara… E o que faz a Pavuna virar São João (outro santo ) e deixar de ser Rio é justamente… um rio. Um rio chamado Pavuna, que passa aqui pertinho de Vigário Geral.
Vigário Geral também tem sua escola de samba, a Acadêmicos de Vigário Geral. E o que faz Vigário Geral virar Duque de Caxias (que de santo não tinha nada) e deixar de ser Rio é justamente… Um rio.
Sobre esse rio, passa a Linha Vermelha. E a Linha Vermelha corta, tipo bandeirante, aproximadamente “doze bilhões” de comunidades, só no perímetro da cidade do Rio de Janeiro. Ela corta, mas liga. Liga um monte de gente ao centro do Rio. Liga um monte de gente ao Aeroporto Tom Jobim, o cara que é o ícone de um movimento musical nascido no Rio de Janeiro – a Bossa Nova. (Vou voltar pra Linha Vermelha, tá?!)
A Linha Vermelha liga a gente à Ilha do Governador. Na boa, eu não sei de qual governador ela é. Eu sei que a Ilha é um dos lugares mais sensacionais do Rio de Janeiro. Lá também tem escola de samba. Algumas, inclusive. Entre elas, o Acadêmicos do Dendê, do morro homônimo que “é ruim de invadir”, e a famosa e simpática União da Ilha, que é madrinha da Acadêmicos de Vigário Geral, que mesmo sendo vizinha da Grande Rio, escolheu a madrinha insulana. A Linha Vermelha também é cortada por outra Linha, a Linha Amarela ,que liga o mundo à Barra da Tijuca . Vermelho e Amarelo são, inclusive, as cores do Unidos de Lucas , minha escola de samba do coração, do bairro de mesmo nome e que também é o nome da estação de trem local, trem esse que vem de Duque de Caxias e vai até a Central do Brasil e passa por aqui e por Vigário Geral também. A Central do Brasil é tipo a Pavuna, só que numa escala ampliada. Partindo de trem da Central sentido subúrbio, Mangueira é a Primeira Estação a dar samba. Por isso, esse é o nome da “maior escola de samba do planeta”. Na Central, existe condução até para a Bósnia-Herzegovina. La tem um monumento em homenagem e um palácio chamado Duque de Caxias, que não era santo, que é nome da cidade vizinha ao Rio de Janeiro, e que até hoje eu me pergunto: porque esse palácio não é na cidade que homenageia o cidadão? Acho que poderia mudar o nome para Palácio Almir Guineto, tem mais a cara da Central…
Almir, que também nao era santo, mas era sambista, logo está acima de criticas, era um dos integrantes da primeira formação do grupo Fundo de Quintal, do Cacique de Ramos – bairro que abriga o Complexo do Alemão e por onde também passa o trem do ramal que passa em Lucas – e da Imperatriz Leopoldinense, assim como Arlindo Cruz, que é imperiano de fé e vai se recuperar, pois o Império Serrano e Madureira estão esperando por ele.
Madureira tem estação do trem, mas a única escola de samba de la é a Acadêmicos de Madureira, já que o Império Serrano é de Magno e a Portela de Oswaldo Cruz… (Hahahaha, geograficamente é verdade!)
Mas a gente aqui no Rio não liga muito pra geografia, senão teria que dizer que o Mercadão de Madureira é em Turiaçu!
Mas, Madureira é uma Pavuna maior que a Pavuna e menor que a Central. De Madureira se chega à quase todos os lugares do Brasil, apenas. Se chega ao Engenho Novo, que não é da Rainha e nem de Dentro. No de Dentro tem o Arranco (outra escola de samba) e o Engenhão, atual estádio do Botafogo, cuja sede é em Botafogo e não dá pra ir direto do trem que passa no Engenhão. Aliás, pra Zona Sul, onde fica Botafogo, só de metrô – inclusive, Botafogo é uma das estações do metrô da Zona Sul – e lá também tem escola de samba, a Mocidade Unida do Santa Marta (aquele morro onde o Michael Jackson e a Madonna deram pinta) e a São Clemente, que ensaia perto da Central, que não é tão perto de Botafogo.
De Botafogo atravessa-se um túnel e chega-se à Copacabana, que tem escola de Samba, Alegria da Zona Sul e Villa Rica. De Copacabana, passando pela estátua do Drummond no calçadão, chega-se à Ipanema, da Garota de Ipanema, da Bossa Nova (posso voltar pro trajeto?!) e chega- se ao Leblon de Manoel Carlos, da praia “pavê”. Atravessando mais um pouquinho, chega-se à São Conrado e à Rocinha, com uma população de aproximadamente 92% de pessoas vindas do norte e nordeste (dados reais). Lá também tem escola de samba, a Acadêmicos da Rocinha. De São Conrado, atravessando o túnel, chega-se à Barra da Tijuca, que é Zona Oeste e que é tão longe quanto a Bósnia-Herzegovina. Na Zona Oeste tem uma escola de samba por habitante e tem a Mocidade Independente de Padre Miguel, que era padre,mas não virou santo. E Padre Miguel fica em Bangu, que no Sistema Solar está localizado logo após Mercúrio. Na Zona Oeste tem uma estrada que liga Jacarepaguá ao Grajaú – eu disse que carioca não liga a mínima pra Geografia. O Grajaú não tem escola de samba, mas é perto de Vila Isabel, que, além da escola de samba que leva o nome do bairro, é terra de Noel Rosa e é perto da Tijuca, onde tem metrô, o Acadêmicos do Salgueiro e o primeiro Império do samba: o Império da Tijuca. Da Tijuca é só pegar o metrô Linha 1 com letra verde e voltar pro Estácio, que é de Sá, que foi flechado, não era santo, virou nome de bairro e de escola de samba. E do Estácio se chega à Pavuna,que quase não é mais Rio por causa de um rio ,mas que é tão Rio quanto qualquer canto do Rio.
Sou Rio. Parabéns,meu Rio. Um rio de felicidades pra você!
Com amor, sua filha que é cria do Rio, mas que é meio pernambucana por causa de um rio, mesmo nascendo no Rio.


Cristina Frazão é carioca, tem 39 anos, é professora, sambista, mora em Parada de Lucas, no carnaval torce pela Unidos de Lucas e no futebol pelo Santa Cruz de Pernambuco. Criadora do Prêmio “Elite do Samba” – o primeiro prêmio destinado às escolas que desfilam pela Intendente Magalhães. Já foi ganhadora do Prêmio Ziriguidum pelos serviços prestados ao carnaval.

Deixe seu comentário