Mangueira mantém Evelyn Bastos como Rainha da bateria

DSC_0350

O cargo de Rainha de bateria de uma escola de samba sempre é muito disputado. Na Mangueira não é diferente e recentemente a escola recebeu uma proposta de R$500 mil pela vaga ocupada por Evelyn Bastos, cria da comunidade.

Evelyn na Mangueira - 2018 (Edson Siqueira/Ziriguidum)

Evelyn na Mangueira – 2018 (Edson Siqueira/Ziriguidum)

O interesse vazou na Imprensa e gerou expectativa de uma possível mudança na Verde e Rosa, mas o presidente Chiquinho da Mangueira descartou qualquer possibilidade da troca. “Recebemos sim uma proposta financeira pelo cargo, que ajudaria a Mangueira neste momento difícil, que estamos resgatando dívidas, mas abrimos mão para manter nossa prioridade pela prata da casa, nossas raízes, isso a Estação Primeira faz muito bem. Evelyn está conosco do início e tem uma história de valor, desde seu começo aos seis anos em nosso Programa Social, até hoje representando as cores verde e rosa com grandeza no Brasil ou em qualquer país do mundo que for se apresentar. Isso tem que ser valorizado e ela tem nossa confiança. Evelyn fica na Mangueira e ponto final”, disse Chiquinho.

Após o fato, a Rainha da Mangueira Evelyn Bastos, feliz com a decisão do presidente, agradeceu por ser tão querida por todos na escola e ter o apoio da diretoria mangueirense. “Gostaria de deixar meu agradecimento ao presidente Chiquinho por me permitir continuar representando a minha comunidade à frente da bateria da Mangueira. Ter um presidente que honra a raiz, o berço e o verdadeiro amor ao samba torna todos os sonhos oriundos do Morro da Mangueira vivos!! Nossas crianças podem nutrir o desejo de se tornarem rainhas, mestres, porta-bandeiras, porque temos à nossa frente um líder que honra os frutos dessa mangueira e deixa mangueirenses natos fazerem o carnaval verde e rosa. Obrigada pelo respeito, pela posição e parabéns pelo ser humano incrível que és“, finalizou Evelyn.


Redação Ziriguidum: contato@ziriguidum.net.br

Fonte: Assessoria/Mangueira

Fotos: Edson Siqueira/Ziriguidum

Deixe seu comentário