Conheça os enredos das escolas do Grupo Especial do Rio

_DSC0013

A menos de 2 meses para o carnaval 2019, as escolas de samba do Grupo Especial do Rio correm contra o tempo para que possam apresentar mais um belo espetáculo cultural. Com temas que vão desde Clara Nunes, passando por Xangô, até chegar no próprio Tempo, os desfiles serão realizados nos dias 3 e 4 de março na Marquês de Sapucaí.

Confira o que cada escola vai apresentar:

Domingo, 3 de março:

Império Serrano

A escola da Serrinha abre os trabalhos e levará para a Sapucaí o enredo “E a Vida, e a Vida o que é? Diga lá meu irmão!”, feito com base no sucesso de Gonzaguinha “O que é? O que é?”. A música será a canção que os integrantes da Verde e Branca vão entoar na Avenida.

Unidos do Viradouro

A Vermelha e Branca de Niterói será a segunda a desfilar no primeiro dia de apresentações do Grupo Especial do carnaval carioca. Levará à Sapucaí o enredo “Viraviradouro”, criado pelo carnavalesco Paulo Barros, que retorna ao Barreto, de volta ao Grupo Especial. O enredo fala sobre a imaginação e histórias fantásticas que fazem parte da infância.

Acadêmicos do Grande Rio

A tricolor de Duque de Caxias traz o enredo “Quem nunca…? Que atire a primeira pedra!”, dos carnavalescos Renato e Márcia Lage, e propõe uma discussão sobre educação, convivência e “jeitinho” brasileiro para quem acompanhar o desfile da terceira escola de samba do Grupo Especial a entrar na Marquês de Sapucaí.

Acadêmicos do Salgueiro

A Vermelha e Branca para a Avenida um enredo sobre o orixá Xangô,responsável pelos raios, trovões e fogo. O carnavalesco Alex de Souza contará a devoção à entidade, responsável por uma batalha contra o mal e pela justiça. Xangô do Salgueiro também será lembrado. Será a quarta escola a desfilar.

Beija-Flor de Nilópolis

Atual campeã, a Azul e Branca da Baixada levará para a Sapucaí o enredo “Quem não viu vai ver…As fábulas do Beija-flor”. A narrativa é desenvolvida por uma comissão de carnavalescos formada por Victor Santos, Bianca Behrends, Rodrigo Pacheco, Léo Mídia, Cid Carvalho e Válber Frutuoso. A Beija-flor vai cantar a história de seus 70 anos de carnaval.

Imperatriz Leopoldinense

A sexta escola a desfilar no primeiro dia de apresentações do Grupo Especial levará para a Avenida o enredo “Me dá um dinheiro aí”, que fala sobre o dinheiro, com uma crítica bem-humorada sobre ambição e política. O desenvolvimento ficou a cargo dos carnavalescos Kaká e Mário Monteiro.

Unidos da Tijuca

Encerrando a primeira noite de desfiles, o Borel levará o enredo “Cada macaco no seu galho. Ó, meu pai, me dê o pão que eu não morro de fome”. Através da visão do pavão, símbolo da escola, o desfile vai passar uma mensagem de esperança em dias melhores por meio da história e simbologia do pão. O carnaval 2019 marca o primeiro ano de Laíla como coordenador-geral do carnaval da escola, depois de um afastamento de 23 anos.

Rosângela Barbosa - Musa do G.R.E.S. União da Ilha (foto: Edson Siqueira)

Rosângela Barbosa – Musa do G.R.E.S. União da Ilha (foto: Edson Siqueira)

Segunda, 4 de março:

São Clemente

A Amarela e Negra da Zona Sul vai levar para a Sapucaí uma reedição do enredo “E o samba sambou”, de 1990. É uma crítica bem-humorada à mercantilização do samba. A escola também vai relembrar, com saudade, os carnavais de antigamente.

Unidos de Vila Isabel

A segunda escola a se apresentar na segunda será a Unidos de Vila Isabel, que levará para a Sapucaí o enredo “Em nome do pai, do filho e dos santos, a Vila canta a cidade de Pedro”. De acordo com a sinopse, a coroa que simboliza a Vila saudará e contará o legado de Petrópolis, uma cidade construída por imigrantes e que se consagrou como a cidade imperial.

Portela

A escola levará para a Sapucaí uma homenagem à cantora Clara Nunes, destacando a diversidade e a atualidade de sua biografia e do seu repertório. “Na Madureira Moderníssima, hei sempre de ouvir cantar uma Sabiá” é desenvolvido pela carnavalesca Rosa Magalhães.

União da Ilha

A Tricolor Insulana levará para a Sapucaí um enredo que une uma proposta lúdica que aproxima a cultura do Ceará com o encontro ficcional de dois ícones da literatura cearense: “A peleja poética entre Rachel e Alencar no avarandado do céu”. O encontro entre os escritores cearenses Rachel de Queiroz e José de Alencar acontece ao longo da apresentação.

Paraíso do Tuiuti

A escola, que foi vice-campeã do carnaval do ano passado, levará para a Avenida o enredo “O salvador da pátria”, sobre a história do bode Ioiô. O animal ganhou fama pelas ruas de Fortaleza e vai ser o grande homenageado da Azul e Amarela de São Cristóvão.

Mangueira

A Verde e Rosa traz o enredo “História pra ninar gente grande”, que promete fazer uma narrativa de “páginas ausentes” da história do Brasil, repensando narrativas oficiais que foram ensinadas ao longo de gerações para os brasileiros.

Mocidade Independente de Padre Miguel

A escola levará para a Sapucaí o enredo “Eu Sou o Tempo. Tempo é Vida”, do carnavalesco Alexandre Louzada, e falará sobre o tempo e suas engrenagens. A Mocidade vai mostrar a relação entre a humanidade e a contagem da passagem do tempo.


Redação Ziriguidum: contato@ziriguidum.net.br

Fonte: G1

Fotos: Edson Siqueira/Ziriguidum

Deixe seu comentário